A Cirurgia ortognática é feita para corrigir problemas faciais, principalmente quando há discrepâncias dento-esqueléticas. Especialmente nos casos de maloclusões impossíveis de se tratar somente com uso de aparelhos ortodônticos.

Quais problemas a cirurgia ortognática corrige?

A cirurgia é destinada a tratar problemas em três planos da face: anteroposterior, vertical e transversal.

Plano antero-posterior: são relacionados a problemas do tipo “queixo grande”, chamado prognatismo mandibular; ou de “queixo pequeno” denominado retrognatismo. O maxilar também pode se apresentar com problemas de posicionamento, necessitando correção.

Plano vertical: a este plano estão relacionados os problemas de excesso ou deficiência de altura da face. Nos casos de deficiência vertical, defeitos estéticos são evidentes, como por exemplo a pessoa sorrir e não mostrar ou mostrar pouco os dentes superiores, conferindo uma aparência envelhecida ou de que não possui dentes. Já o excesso de altura da face provoca situações do tipo “sorriso gengival”. Este é o problema no qual a pessoa mostra em excesso os dentes e a gengiva, tanto em repouso como durante o sorriso.

Plano transversal: consiste de situações onde os maxilares estão em desarmonia no sentido latero-lateral. Isto pode ser causado por um desvio dos maxilares durante o crescimento, resultando em uma face assimétrica (“torta”, no liguajar popular) ou por uma desarmonia no crescimento transversal que gera uma mordida cruzada.

Etapas do tratamento

Primeiramente é necessário procurar um Ortodontista e um Cirurgião Buco-Maxilo-Facial. Esses profissionais precisam se reunir antes de iniciar o tratamento, para discutir e planejar cada procedimento, visando um resultado satisfatório.

Para realizar a cirurgia é importante que o indivíduo tenha cessado o crescimento esquelético, para obtenção de resultados mais previsíveis. Normalmente isso ocorre nas meninas de 15-16 anos, e nos meninos 17-18 anos. Porém, há casos onde a cirurgia pode ser realizada em idades mais precoces, quando a deformidade atrapalha a vida social da criança, por exemplo.

A primeira fase do tratamento é o preparo ortodôntico que dura em média 12 a 18 meses. Nesta fase, as posiçoes dentárias são corrigidas sobre as bases ósseas com vistas a cirurgia ortognática.

Após a finalização do preparo ortodôntico, a cirurgia ortognática é realiazada com o objetivo de corrigir a posição dos maxilares e a oclusão. Estas correções propiciam benefícios estéticos a face, melhoram a função mastigatória e, muitas vezes, também a respiratória.

A ultima fase é a finalização ortodôntica, na qual obtém-se o resultado final. Quanto melhor o engrenamento dentário final, maior a estabilidade do tratamento em longo prazo.

Como é realizada a cirurgia?

As cirurgias são realizadas no hospital e sob anestesia geral. Toda a cirurgia é feita por dentro da boca, dessa forma não há formação de cicatrizes na face. A duração do procedimento é variável, dependo da correção que será feita e do grau de dificuldade para a cirurgia. O período de permanência no hospital normalmente é de um a dois dias.

No pós-operatório não é comum o paciente sentir dor e o período de recuperação inicial é de aproximadamente 15 dias.