Os traumas de face são ocorrências comuns em hospitais e unidades de emergência, variando de leves traumatismos que necessitam de alguns cuidados no seu tratamento à fraturas complexas que exigem tratamento cirúrgico em nível hospitalar. Dentro da traumatologia bucomaxilofacial podemos incluir tanto os traumatismos nas estruturas da face propriamente dita (pele, músculos, nervos, vasos sanguíneos e ossos da face), quanto os traumas da cavidade bucal (dentes, gengiva, língua, osso maxilar, osso mandibular, vasos sanguíneos e nervos da boca).

 

Qual a área profissional responsável pelo tratamento dos traumas de face?

A área de traumatologia bucomaxilofacial, representada pelo Cirurgião Bucomaxilofacial, é aquela responsável pelos traumas da face, também chamado de traumatismo bucomaxilofacial. Esta área compreende os traumas localizados em: (1) osso frontal (fratura na região da testa); (2) ossos nasais (fraturas de nariz); (3) ossos malares ou zigomáticos (fraturas na região da maçã do rosto); (4) ossos da órbita (fraturas na região da órbita dos olhos); (5) ossos maxilares (fratura de maxila ou fratura de mandíbula); (6) rebordo alveolar e dentes (fraturas alvéolo-dentárias ou dentárias); (7) pele da face, lábios e língua, além de músculos, vasos sanguíneos e nervos da região da face e da cavidade bucal (cortes, lacerações, ferimentos perfuro-cortantes).

 

Figura 1. Trauma de face: fraturas do terço superior e médio da face.

 

Figura 2. Trauma de face: fratura de mandíbula.

 

Quais os sinais e sintomas das fraturas de face?

Entre os sintomas das fraturas faciais podemos citar: (1) dor variável, de leve a intensa, dependendo do tipo de trauma de face e do local acometido; (2) dormência do queixo, lábios, língua, gengiva, dentes, bochechas, nariz e testa, dependendo do tipo de trauma de face e local de acometimento; (3) dificuldades em movimentar a mandíbula (dor e limitação dos movimentos por impedimento mecânico); (4) alterações da oclusão, ou seja, modificações na “mordida”; (5) cortes e lacerações; (6) hematoma, equimose e edema (áreas arroxeadas e inchadas).

 

Como é o tratamento dos traumas de face?

O primeiro atendimento é emergencial e tem como objetivo garantir a vida do paciente nos traumas mais graves ou apenas evitar maiores danos no local das injúrias nos casos de traumas faciais mais leves. Após o atendimento emergencial, segue-se a solicitação de exames para determinação de um diagnóstico mais preciso e, desta forma, instituir o correto tratamento.
O cirurgião bucomaxilofacial, muitas vezes solicitado para agir em salas emergenciais, é o especialista que irá realizar o tratamento do paciente vítima de trauma de face. Após o atendimento emergencial e a execução dos exames de rotina e exames complementares para diagnóstico, inicia-se o tratamento definitivo do paciente. Na maioria das vezes estes tratamentos envolvem suturas de feridas e tratamento cirúrgico das fraturas presentes.
Por fim, o cirurgião bucomaxilofacial prescreve as medicações que serão utilizadas após o procedimento, esclarece dúvidas e orienta paciente e familiares quais serão os cuidados necessários. Todos estes passos são importantes para que o procedimento seja feito em segurança!